terça-feira, 16 de agosto de 2016

A CORRIDA COMEÇA NA BIKE

A etapa do ciclismo no triatlo tem grande influência na corrida. Alguns estão mais adaptados a essa transição, mas todos são afetados em seu desempenho final quando comparado ao de uma corrida isolada. Estudos mostram que o triatleta, após o trajeto de ciclismo, corre com um percentual menor de VO2máx. Por isso, a corrida de um triatleta não pode ser analisada isoladamente. Ela é o resultado de seu potencial de corrida menos o desgaste da etapa de ciclismo. Para melhorar o desempenho de corrida, é importante melhorar sua eficiência nas pedaladas. Quanto mais preparado para o ciclismo, menor será a perda de performance na etapa de corrida.


No treino É preciso fazer treinos específicos para que o corpo se adapte à transição da posição sentada para a ereta, além da diferente solicitação muscular. Alguns exemplos:
Inclua corridas curtas:(10’ a 15’) assim que terminar o treino de bike;
Faça treinos específicos de transição, como pedalar 10’ e correr 5’, com intervalos de 2’. Repita essa sequência de duas a quatro vezes. A boa técnica de corrida também contribui para suportar o desgaste do ciclismo. Algumas dicas:
Evite passas longas demais quanto mais para frente, mais freará o movimento e maior será o impacto e o tempo de contato com o chão, o que também significa desgaste. Diminua a amplitude para aumentar a frequência das passadas;
Evite “quicar”, com passadas que façam o corpo subir e descer. O importante é manter o centro de gravidade em uma linha horizontal constante;
Mantenha uma pequena inclinação, aproveitando esse pequeno desequilíbrio para que o corpo seja impulsionado mais para frente do que para cima.
Na competição Durante a etapa do ciclismo, o atleta já deve ir se preparando para correr:
Pedale algumas vezes em pé, para aumentar a amplitude de extensão dos joelhos, aproximando- se daquela que será usada na corrida;
Faça uma inspiração mais profunda, próximo do fim da etapa da bicicleta, a fim de estimular o diafragma a contrair mais (respiração abdominal). Isso ajudará na transição da posição sentada da bike para a posição ereta da corrida;
Alivie o ritmo no final da bike, aumentando um pouco as rpm (rotações por minuto) da pedalada. Dessa forma, conseguirá ficar com as pernas mais soltas para imprimir uma frequência de passadas mais alta.

0 comentários:

Postar um comentário