quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Cardiologista explica Por que o atleta pode sofrer infarto

Todas as mortes ocorridas em academias (neste ano, entre nós, mais de quatro jovens) e nos esportes em geral tiveram suas causas esclarecidas, apesar de que praticamente a maioria da mídia, quando informa esses acontecimentos, costuma catalogar todos de morte súbita por infarto do miocárdio ou pior ainda por uma suposta parada cardíaca.

Algo que parece inexplicável, como um esportista que pratica corridas regularmente pode sofrer infarto? A noção que todos temos, é a de que uma vida ativa protege dessa doença. Sem dúvida a ciência considera o sedentarismo um dos fatores de risco para o infarto, tanto quanto o colesterol elevado, a hipertensão arterial, o tabagismo, o diabete e a obesidade. Sendo ele mais danoso que os possíveis riscos de problemas cardiovasculares desencadeados pela atividade física ou esportiva.

Todas as mortes ocorridas em academias (neste ano, entre nós, mais de quatro jovens) e nos esportes em geral tiveram suas causas esclarecidas, apesar de que praticamente a maioria da mídia, quando informa esses acontecimentos, costuma catalogar todos de morte súbita por infarto do miocárdio ou pior ainda por uma suposta parada cardíaca.
da morte é uma parada cardíaca, seja por câncer, infarto, pneumonia, uso de anabolizantes e etc. Simplesmente significa que o coração parou! Portanto esse é um termo inadequado para informar a causa de uma morte! Agora, infarto do miocárdio é uma doença cardíaca bem definida, que quando ocorre pode ter umas das evoluções: 1- morte súbita, 2 -complicado por arritmias, 3 - complicado por insuficiência cardíaca, 4- complicado por choque cardiogênico, 5 - recuperado por angioplastia imediata e outras.
A ocorrência de infarto num esportista ou atleta deve ser bem esclarecida, pois a atividade física pode ser um gatilho dessa doença, se a pessoa desconhece seu estado de saúde. Por isso insistimos que seja feita ao menos uma vez ao ano, uma avaliação médica especializada e repetida após alguma intercorrência médica.
Num jovem com menos de 35 anos inegavelmente o infarto do miocárdio é muito pouco comum, porém os dados estatísticos do Comitê Olímpico Internacional conseguiram detectar em 40 anos, que surpreendentes 10% de mortes de atletas jovens foram provocadas pelo infarto do miocárdio, e mais ainda, a maioria tinha como fator de risco mais importante os níveis elevados de colesterol (outra surpresa). Os jovens atletas tinham entre 15 e 30 anos.
Outra causa do infarto em jovens foi uma alteração congênita da anatomia da irrigação sanguínea do coração, conhecida como origem anômala maligna da coronária. As lições vêm confirmar algumas teses de que o esporte não corrige o colesterol ruim advindo dos maus hábitos de vida, principalmente da qualidade da alimentação, em relação ao consumo de gorduras, o que faz a diferença nos níveis do colesterol. A origem anômala poderia ser suspeitada pelo teste ergométrico e mesmo pelo ecocardiograma, se forem feitos por um médico.
Adultos com mais de 35 anos, agora sim, tem no infarto a principal causa de morte na atividade física, e o dado mais esclarecedor, a imensa maioria dos casos estava com pelo menos dois dos fatores de risco não controlados efetivamente, por exemplo, a pressão estava só um pouco aumentada, o colesterol estava só um pouquinho acima do normal e assim por diante. O que obriga o médico ser rigoroso no tratamento desses fatores de risco.
Concluímos que o esportista deve estar atento à sua saúde, para se prevenir do evento mais temido por todos, que é o infarto seguido de morte numa atividade física. Boas e saudáveis corridas.

1 comentários:

  1. Não me considero sedentário, corro, faço academia ainda Yoga. Neste ano durante as corridas comecei a sentir dor leve no estômago. Fui em gastro e ele nem me atendeu....recomendou que eu procurasse um cardiologista o mais rápido possível.... Resumindo, meu coração estava com 6 artérias mais que 50% entupidas....Estava prestes a ter um infarte grave, segundo os médicos. Fui para cirurgia, fiz duas mamaria e duas safenas.... Sempre fazia exames e nada foi detectado....Acredito que todos que fazem atividades físicas ou não deveriam fazer avaliações detalhadas, principalmente se ja tiveram casos de pais/tios/avos com o mesmo problema...ou caso não consigam controlar muito bem o colesterol(no meu caso).....

    ResponderExcluir